AS 7 Maravilhas da Humanidade

“Na Antiguidade existiram sete grandes estruturas construídas pelo homem consideradas as maravilhas do mundo…

Nome dado pelos gregos aos sete monumentos considerados como os mais notáveis e descritos na obra “De Septem Orbis Miraculis”, atribuída a Filon de Bizâncio (Philon of Byzantium) no século III antes de Cristo – ano 200, aproximadamente.

Todas foram construídas entre os anos de 2.500 a 200 antes de Cristo. Hoje, apenas uma resta: As Pirâmides do Egito.

A listagem dessas maravilhas foi modificada muitas vezes, ao longo dos séculos, mas nela figuram comumente os seguintes monumentos e obras listadas abaixo (não necessariamente nesta ordem):

I – As Pirâmides em Gizé (Egito)

Sepulturas dos faraós, contruídas na planície de Gizé, a 15 quilômetros do Cairo – capital do Egito. As pirâmides foram construídas entre 2.650 e 2.500 antes de Cristo. A única das maravilhas que permanece em pé até hoje!

II – O Farol em Alexandria (Egito)

                                                    ilustração

O Farol de Alexandria foi construído em 280 antes de Cristo, todo em mármore branco, pelo faraó Ptolomeu II, na ilha de Pharos, do qual se derivou o nome Farol…

Centenas de homens mantinham acesa uma chama no topo e mecanismos registravam a direção dos ventos e as horas. Esta estrutura media 134 metros de altura e foi destruída por um terremoto, em 1302.

No final de 1995, arqueólogos retiraram do fundo do Mediterrâneo estátuas e blocos de pedra que, supostamente, teriam sido do farol. A cidade de Alexandria está localizada no delta do rio Nilo, às margens do Mar Mediterrâneo.

É a segunda maior cidade do Egito, tem milhões de habitantes e um dos maiores portos do Mediterrâneo. Fundada em 332 antes de Cristo, por Alexandre, tal cidade teve papel eminente no último período da antiguidade egípcia.

III – Os Jardins Suspensos da Babilônia (Iraque)

                                          ilustração

Seis montes de terra artificiais, com terraços arborizados, apoiados em colunas de 25 a 100 metros de altura, construídos pelo rei Nabucodonosor, para agradar e consolar sua esposa preferida Amitis. Chegava-se a eles por uma escada de mármore. Também chamados de Jardins Suspensos de Semiramis, foram construídos no século VI antes de Cristo, no sul do Iraque, na Babilônia.

Os terraços foram construídos um em cima do outro e eram irrigados pela água bombeada do rio Eufrates. Nesses terraços estavam plantadas árvores e flores tropicais e alamedas de altas palmeiras. Dos jardins podia-se ver as belezas da cidade abaixo. Não se sabe quando foram destruídos…

Nabucodonosor – rei da Babilônia (630 a.C.?-562 a.C.)

Durante seu governo a Babilônia atinge o auge de sua prosperidade e hegemonia, sendo conhecida como “Rainha da Ásia”. Nebuchadrezar II, filho do general Nabopolassar, fundador da dinastia caldeia, sobe ao trono em 605 antes de Cristo, depois da morte do pai.

Transforma a cidade babilônica em centro cultural e financeiro do mundo antigo. A maior realização de seu reinado é um conjunto arquitetônico para proteger a cidade de invasões. Compreende a Torre de Babel, com 250 m de altura, os Jardins Suspensos e um canal de defesa ligando os rios Tigre e Eufrates, a 40 quilômetros da Babilônia, cercado por um muro em toda a sua extensão, o Muro dos Medas.

Líder militar de grande energia e crueldade, aniquila os fenícios, derrota os egípcios e obtém a hegemonia no Oriente Médio. Estende o Império Babilônico até o Mar Mediterrâneo. Em 598 antes de Cristo, conquista Jerusalém e realiza a primeira deportação de judeus para a Mesopotâmia, episódio conhecido como “O Cativeiro da Babilônia”. Com a sua morte e sem um sucessor com a mesma força, os babilônios caem diante dos exércitos persas.

IV – A Estátua de Zeus (Grécia)

                                           ilustração


Figura central do Templo de Olímpia, também chamada de estátua criselefantina de Zeus, no Monte Olimpo, Grécia. Feita pelo grande escultor Fídias (Phidias), no século V antes de Cristo (447), era uma opulenta estátua de marfim e ébano com 12 a 18 metros de altura.

Após séculos de existência, a estátua foi destruída por um incêndio em 475 depois de Cristo. A única ideia que se tem dessa estátua podemos conjeturar através das moedas de Elis, as quais se supõem carregar a figura original da estátua.

V – O Templo de Ártemis (Turquia)            
      

                                                   ilustração
O Templo de Ártemis foi erguido por Creso, Rei da Lídia, entre 560 a 547 antes de Cristo, na cidade de Éfeso (Epheseus), na antiga Província da Ásia Menor (atual Turquia). Homenageava a deusa dos bosques Ártemis, chamada de Diana pelos romanos.

Os colonizadores gregos encontraram os habitantes da Ásia cultuando uma deusa a qual identificaram como Ártemis. Eles então construíram um pequeno templo no qual foi reconstruído e aumentado muitas vezes.

Somente na quarta expansão, o Templo foi incluído na lista das maravilhas do mundo. O templo levou cerca de 120 anos para ser terminado. Media 138 metros de comprimento, por 71,5 metros de largura, com colunas de 19,5 metros de altura e era famoso pelas obras de arte, entre elas a escultura da deusa em ébano, ouro, prata e pedra preta.

Nota: As medidas do templo diferem de acordo com a fonte, como o recorte abaixo, por exemplo, extraído da revista Tio Patinhas de n° 495, “O Tesouro de Creso” (recebido de Lídia em 08/03/07).

Foi destruído duas vezes: a primeira em 356 antes de Cristo (na noite do nascimento de Alexandre), em um incêndio causado por um maníaco, Eróstrato; a segunda no século III antes de Cristo, por um ataque dos godos. Restaram algumas esculturas e objetos que, hoje, estão no Museu Britânico, em Londres.

Nota: Foi no “Reino da Lídia” que surge a cunhagem em série das primeiras moedas usadas para as transações comerciais, cujo sistema monetário os povos conhecem até hoje…

VI – Mausoléu de Halicarnasso

                                                     ilustração                  

O Túmulo do Rei Mausolo foi construído em 353 antes de Cristo, por Artemísia, viúva de Mausolo, em Halicarnasso, Cária (situado na Ásia Menor, atual cidade de Bodrum – Turquia). Tinha 50 metros de altura e terminava com uma carruagem puxada por 4 cavalos, no topo de uma pirâmide com 24 degraus. Em seu interior haviam esculturas e estátuas.

Depois da morte do Rei Mausolus de Caria, a rainha contratou arquitetos gregos para construírem um soberbo monumento sobre os restos mortais do rei. O nome da estrutura foi uma homenagem a Mausolus e, hoje, é aplicada em sepúlcros suntuosos. Foi destruído por um terremoto entre os séculos XI e XV. Seus restos estão no Museu Britânico, em Londres (Lastra do friso da amazonomaquia, por exemplo), também em Bodrum, na Turquia.

VII – O Colosso de Rodes (Grécia)

                                                     ilustração    

Estátua de Apolo que media 105 pés de altura, aproximadamente, 32 metros. Uma estátua gigantesca que representava o deus sol Hélio (Helios), foi esculpida em bronze por Chares, em 280 antes de Cristo, no acesso à Ilha de Rodes, no Mar Mediterrâneo.

Tal estátua guardava a entrada do porto e foi destruída em um terremoto no ano de 224 antes de Cristo. Após centenas de anos, aproximadamente em 656 depois de Cristo, os fragmentos da estátua foram vendidos como sucata e, então, derretidos…”    

Fonte do texto: Girafa Mania
Imagens: Google Imagens                          

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s